FAQ

– Procure um médico para diagnóstico e identificação da causa e do tipo de perda urinária que você apresenta;
– Não pense que incontinência urinária é um mal inevitável na vida das mulheres depois dos 50, 60 anos. Se o distúrbio for tratado como deve, a qualidade de vida melhorará muito;
– Considere os fatores que levam à incontinência urinária do idoso – uso de diuréticos, ingestão hídrica, situações de demência e delírio, problemas de locomoção – e tente contorná-los. Às vezes, a perda de urina nessa faixa de idade é mais um problema social do que físico;
– Evitar a obesidade e o sedentarismo, controlar o ganho de peso durante a gestação, praticar exercícios fisioterápicos para fortalecer o assoalho pélvico, são medidas que podem ser úteis na prevenção da incontinência urinária.

Além dos efeitos físicos da doença, a incontinência urinária afeta os indivíduos psicologicamente, pois interfere na qualidade de vida, podendo acarretar depressão e influenciar na vida sexual por gerar desconforto para o paciente. Os sintomas afetam o trabalho e a autoestima, uma vez que a doença impõe restrições de convivência ao limitar as atividades por conta da incapacidade de conter a urina. Porém, como a maioria desses problemas não é incapacitante, muitas pessoas não procuram um médico e acreditam ser uma consequência natural da idade.

– Incontinência urinária de esforço: o sintoma inicial é a perda de urina quando a pessoa tosse, ri, faz exercício, movimenta-se;
– Incontinência urinaria de urgência: mais grave do que a de esforço, caracteriza-se pela vontade súbita de urinar que ocorre em meio as atividades diárias e a pessoa perde urina antes de chegar ao banheiro;
– Incontinência mista: associa os dois tipos de incontinência acima citados e o sintoma mais importante é a impossibilidade de controlar a perda de urina pela uretra;
– Enurese noturna: é a incontinência que ocorre durante o sono

A eliminação da urina é controlada pelo sistema nervoso autônomo, mas pode ser comprometida nas seguintes situações:

– Comprometimento da musculatura dos esfíncteres ou do assoalho pélvico;
– Gravidez e parto;
– Tumores malignos e benignos;
– Doenças que comprimem a bexiga;
– Obesidade;
– Tosse crônica dos fumantes;
– Quadros pulmonares obstrutivos que geram pressão abdominal;
– Bexigas hiperativas que contraem independentemente da vontade do portador;
– Procedimentos cirúrgicos

Causas da incontinência

  • Infecções urinárias ou vaginais.
  • Efeitos colaterais de medicamentos.
  • Constipação intestinal.
  • Fraqueza de alguns músculos.
  • Parto
  • Doenças que afetam os nervos ou músculos.
  • Alguns tipos de cirurgia ginecológica, entre outras.

Para a maioria das pacientes, a incontinência não é somente um problema médico, afetando também seu bem-estar emocional, psicológico e social. Muitas deixam de realizar atividades cotidianas que possam afastá-las do banheiro por algum tempo. Por esta razão, é muito importante saber que a grande maioria das causas de incontinência pode ser tratada com sucesso.

A incontinência urinária é uma doença que consiste na perda involuntária de urina e caracteriza uma manifestação de que existe algum problema com o funcionamento do trato urinário inferior. A doença gera desconforto social, prejuízo profissional e psíquico ao paciente.

Load More

– Procure um médico para diagnóstico e identificação da causa e do tipo de perda urinária que você apresenta;
– Não pense que incontinência urinária é um mal inevitável na vida das mulheres depois dos 50, 60 anos. Se o distúrbio for tratado como deve, a qualidade de vida melhorará muito;
– Considere os fatores que levam à incontinência urinária do idoso – uso de diuréticos, ingestão hídrica, situações de demência e delírio, problemas de locomoção – e tente contorná-los. Às vezes, a perda de urina nessa faixa de idade é mais um problema social do que físico;
– Evitar a obesidade e o sedentarismo, controlar o ganho de peso durante a gestação, praticar exercícios fisioterápicos para fortalecer o assoalho pélvico, são medidas que podem ser úteis na prevenção da incontinência urinária.

Além dos efeitos físicos da doença, a incontinência urinária afeta os indivíduos psicologicamente, pois interfere na qualidade de vida, podendo acarretar depressão e influenciar na vida sexual por gerar desconforto para o paciente. Os sintomas afetam o trabalho e a autoestima, uma vez que a doença impõe restrições de convivência ao limitar as atividades por conta da incapacidade de conter a urina. Porém, como a maioria desses problemas não é incapacitante, muitas pessoas não procuram um médico e acreditam ser uma consequência natural da idade.

– Incontinência urinária de esforço: o sintoma inicial é a perda de urina quando a pessoa tosse, ri, faz exercício, movimenta-se;
– Incontinência urinaria de urgência: mais grave do que a de esforço, caracteriza-se pela vontade súbita de urinar que ocorre em meio as atividades diárias e a pessoa perde urina antes de chegar ao banheiro;
– Incontinência mista: associa os dois tipos de incontinência acima citados e o sintoma mais importante é a impossibilidade de controlar a perda de urina pela uretra;
– Enurese noturna: é a incontinência que ocorre durante o sono

A eliminação da urina é controlada pelo sistema nervoso autônomo, mas pode ser comprometida nas seguintes situações:

– Comprometimento da musculatura dos esfíncteres ou do assoalho pélvico;
– Gravidez e parto;
– Tumores malignos e benignos;
– Doenças que comprimem a bexiga;
– Obesidade;
– Tosse crônica dos fumantes;
– Quadros pulmonares obstrutivos que geram pressão abdominal;
– Bexigas hiperativas que contraem independentemente da vontade do portador;
– Procedimentos cirúrgicos

Causas da incontinência

  • Infecções urinárias ou vaginais.
  • Efeitos colaterais de medicamentos.
  • Constipação intestinal.
  • Fraqueza de alguns músculos.
  • Parto
  • Doenças que afetam os nervos ou músculos.
  • Alguns tipos de cirurgia ginecológica, entre outras.

Para a maioria das pacientes, a incontinência não é somente um problema médico, afetando também seu bem-estar emocional, psicológico e social. Muitas deixam de realizar atividades cotidianas que possam afastá-las do banheiro por algum tempo. Por esta razão, é muito importante saber que a grande maioria das causas de incontinência pode ser tratada com sucesso.

A incontinência urinária é uma doença que consiste na perda involuntária de urina e caracteriza uma manifestação de que existe algum problema com o funcionamento do trato urinário inferior. A doença gera desconforto social, prejuízo profissional e psíquico ao paciente.

Load More